Compra de retroescavadeira

Antes de decidir pela compra de uma retro e levá-la pra casa - digo, pra obra ou pro campo, é preciso parar um pouco e analisar alguns pontos importantes. Afinal, estamos falando de uma máquina muito versátil, que trabalha em ambientes diversos: demolições, escavações, obras de pavimentação, abertura de valas e limpeza de terrenos. 

Sendo assim, não dá pra escolher uma retro deixando-se levar apenas pelo emocional. Uma retro bonitona é importante, mas ela precisa ter conteúdo. Pensando nisso, preparamos algumas dicas que podem te ajudar na hora da compra. Continue lendo e confira! 

Uma retro ideal para cada tipo de aplicação 

Ao escolher seu modelo, leve em consideração o volume dos materiais que ele vai movimentar. Com isso em mente, vai ficar mais fácil determinar que potência e que capacidade produtiva a sua retro precisa ter. No mercado, há opções entre 50 hp e 110 hp, e com diferentes alcances, profundidades de escavação e pesos operacionais máximos.  

Assistência no pós-vendas é fundamental

A gente já alertou por aqui, mas nunca é demais lembrar: investir em um fabricante que ofereça um bom pacote de assistência técnica no pós-vendas garante aquela tranquilidade extra na hora do trabalho. Porque se acontecer alguma coisa, o amigo retreiro vai poder contar com a ajuda de profissionais da marca, com preços adequados e com mais rapidez.    

Valor de revenda deve influenciar na escolha?

Sim! Aliás, antes de fazer o investimento, é preciso estudar o ciclo de vida da máquina que inclui o valor pago na compra, custo das peças, consumo de combustível, prazo de entrega, linhas e condições de financiamento, atendimento no pós-vendas e, claro, a valorização do modelo no mercado de usados. Pra isso, vale até encontrar os amigos de trabalho e trocar uma ideia sobre a reputação das máquinas que eles possuem. Confira mais dicas sobre esse tema neste outro post!

O conforto do operador também conta!

Toda retro possui uma peça-chave muito importante para o seu bom funcionamento e para o sucesso da operação. Ela fica entre o volante e os comandos e a poltrona, e se chama “operador”! Brincadeiras à parte, o conforto do retreiro no seu dia a dia é muito importante, já que ele influencia diretamente na produtividade e no capricho do serviço. 

O mercado disponibiliza uma série de itens que deixam as máquinas mais ergonômicas, como transmissões automáticas, cabines fechadas e com ar-condicionado, poltronas com amortecedores, comandos através de joysticks, menor nível de ruídos, entre outros. Analisar cada um deles e sua importância para o bem-estar de quem vai estar no comando da retro não é frescura! 

Mas, e você? Já passou pelo processo de escolha e compra de uma retro? Não comprou, mas lida com uma máquina no dia a dia? Ou tá pensando em fazer esse investimento? Comente o post, compartilhe sua experiência e ajude a deixar nossa comunidade ainda mais rica, com experiências e conteúdos exclusivos!