Entre as muitas coisas que Éverton Machado herdou do pai, duas se revelam assim que o jovem gaúcho se apresenta. A primeira é o falante e agitado: “Meu pai era muito elétrico, falava com as mãos”, ele diz. A segunda, a grande paixão pela CASE.

É visível a admiração com que Éverton fala do pai, que iniciou a empresa da família em 1973 operando ele mesmo uma retroescavadeira CASE 580E, carinhosamente apelidada de Ezinha.

E você, herdou a paixão por retros e pelo mundo da construção de alguém?

Conta pra gente nos comentários!